21 de julho de 2010

És um pequeno animal de papel nas minhas mãos

Desenhas-me com as tuas palavras enquanto me olhas,
e ficas depois como um pequeno animal de papel nas minhas mãos

Escreves-me
e o som vibra dentro de mim

Cheiro-te,
procurando as impressões dos teus dedos, o relevo das tuas linhas,
e nesse caminho de sobressaltos olhamo-nos

há um instante puro e esmagador que nos transforma,

um labirinto que nos tenta,

uma palavra que nos esmaga.


alma

2 comentários:

Carol Timm disse...

Oi Ana,

Nunca tinha lido nada de Alma Kodiak... e já gosto imensamente desde que a li no teu blog.

Beijos,
Carol

Ana Isabel disse...

Olá Carol
Fico muito contente com o seu comentário. A Alma Kodiak tem muito de mim...é uma heterónima.
Beijo