24 de julho de 2013

Vens ou ficas?

Vens ou ficas
Esta cidade é só nossa.
E a noite pede-nos um corpo
Para continuar a viver.
Se vieres, vou esperar-te a estação.
Trarás contigo a razão
Quem te ouve e quem te vê.
O encontro será apenas o momento
No interior do pensamento
Onde tudo se resolve.
Os segredos são o centro de um incêndio
Que arde com o silêncio
Como outra noite qualquer.
Se me ouves, se recusas as palavras,
Transformamo-nos em nada,
Quase deixamos de ser.
E as horas que se despedem devagar
Que se afastam de ficar
Que se aproximam de morrer.
O que fomos passa por nós na avenida,
É um pedaço da nossa vida 
Que ainda quer sobreviver.
Vens ou ficas
Eu vou estar a tua espera 
Por mais que a força não queira
Seremos dois a decidir.

João Pedro Pais




29 de janeiro de 2013

Essa miúda


Essa miúda é uma fogueira
Que te acende as noites em qualquer lugar
E tu desejas arder com ela
Enquanto bebes o perfume
Que ela deita nos seus trapos de cor
Para te embriagar

Essa miúda é um exagero
Diz que sem ti não sabe voar
Mas tu adoras voar com ela
Enquanto inventas espaços novos
Ela vai arquitectando uma teia
P´ra te aconchegar

Essa miúda faz-te acreditar
Que o sol é um presente
Que a aurora traz
Principalmente p´ra ti

Essa miúda é uma feiticeira
Prende-te a mente e põe-se a falar
E tu bem tentas compreende-la
Mas o que sai da sua boca
Não parece condizer com o que ela
Te diz com o olhar

Essa miúda faz-te acreditar
Que o sol é um presente
Que a aurora traz
Principalmente p´ra ti.




Jorge Palma