20 de novembro de 2007

Haja o que houver

Madredeus

2 comentários:

Ch disse...

Adoro o Madredeus...
As vozes e os arranjos são notáveis.
Esta música, então, parece calhar como uma luva à belíssima poesia trazida por Ricardo Reis, e que aqui você nos oferta a todos, como exemplo ímpar da Poesia Portuguesa, que, ao meu ver, fez-se grande e encantadora.
São versos de requinte, raros mesmo.
Abraços, Isabel.
Carlos

livia soares disse...

Olá, isabel.
Também sou fâ do Madredeus e da poesia portuguesa; a ambos eu pretendo conhecer (para poder desfrutar) cada vez mais, sem prejuízo das coisas novas que certamente hei de descobrir... por isso gosto muito de vir aqui.
Um abraço.