2 de outubro de 2007

Recebes a noite

Recebes a noite, na vaga incerta
de lucidez. Todo alado e desnorte.
Abre-se a nave intransponível do teu peito.
Nenhum lugar dele se acede.
Quieto, sondas a manifesta dor,
o erro fulgurante
dança-te diante dos olhos.
É tarde - dizes - e estendes os dedos
ao limite próximo da sombra.
Dás um passo. Caminhas?
Daqui é somente a noite que te engole
ou tanta outra loucura
que te nomeia.




Fernando M. Dinis
do blog FICO ATÉ TARDE NESTE MUNDO

2 comentários:

Fernando M. Dinis disse...

Fico sempre tão feliz.
Obrigado.

Ana Isabel disse...

...eu também, pelo seu regresso, que celebrei aqui no dia 12 de setembro, e pelas palavras que escreve...abraço