6 de dezembro de 2012

Contigo

Acordo na manhã de oiro
entre o teu rosto e o mar.


As mãos afagam a luz,
prolongam o dia breve.


Entre o teu rosto e o mar
ninguém deseja ser neve.


Ninguém deseja o veneno
da noite despovoada.


Acorda-me a tua voz,
nupcial, branca, delgada.



Eugénio de Andrade

Sem comentários: