3 de novembro de 2007

Bloom



Manuel Librodo

1 comentário:

Ch disse...

Achei de uma suavidade impressionante o poema oriental, cuja tradução de Albano Martins nos deixa ainda mais orgulhosos dessa língua pátria comum.
E quantas visões delicadas, a árvore despontando sobre a neve com borboletas esvoaçantes, a dívida pelo poema inconcluso.
A fotografia da postagem em voga também ficou linda: flores banhadas!
Abraço forte, minha cara Isabel.
Carlos