1 de outubro de 2007

Diário de praia | 2

De quanta liquidez e espanto somos feitos!
A dor, quanto menor, não lembra o que passou,
nem que desvios fez dos ventos imperfeitos...

Teu medo foi a flor que o meu amor quebrou.



David Mourão-Ferreira

Sem comentários: