10 de junho de 2007

Mar Sonoro

Mar sonoro, mar sem fundo, mar sem fim.
A tua beleza aumenta quando estamos sós
E tão fundo intimamente a tua voz
Segue o mais secreto bailar do meu sonho.
Que momentos há em que eu suponho
Seres um milagre criado só para mim.


Sophia de Mello Breyner Andresen

1 comentário:

Cristina Nobre Soares disse...

Gosto que gostes tanto de Sophia. E é também por isso que gosto de vir aqui.