24 de maio de 2007

O vermelho das acácias na paisagem

cai ao chão a mais íntima aurora

há-de vestir-me de cor rubra
a matéria que tinge o céu e me deslumbra

este assalto da aurora será meu enxoval meu dote de menina
agora que sei o mistério e continuo donzela
tu que pões o vermelho das acácias na paisagem
estranho amor te foi cobrindo amarga toranja
doce de papaia regressa
de cada vez
mais jovem
a semente
chama

arde em lábios audaciosos

neste acontecer saboroso
eles são afeitos
à incandescente terra a crescer um dom de mansidão

em fundo laranja canta o palato assim aceso enquanto
um rosário de contas pretas me escorre dos dedos
devagarinho para o chão



Ana Mafalda Leite

Sem comentários: