8 de setembro de 2006

Song of the boat














Zhu Yiyong


Trocaria eu tudo por uma
lanterna iluminada?
Uma luz quente, luz mãe,
que me aquecesse sem mais nada?

Lanterna minha, meu tesouro,
perdem-se já as vozes na rua...
Mantém-te acesa noite dentro,
a tua cor quente com a cor branca da Lua.

Olho-te em sonhos, adormecida pelo mar,
lanterna encantada luzes no meu espanto.
Volta a maré e a marezia range na madeira do barco ao canto,
e eu canto baixinho para que não se percam os espíritos,
pois de volta mergulham, no último luar da noite.

Sem comentários: